Entrevista: Desvendando os mistérios da Alquimia

Desvendando os mistérios da Alquimia

Essencialmente como uma ciência médica, a prática é hoje uma terapia complementar para problemas de corpo, mente e espírito.

O termo é antigo e amplo, mas simples de compreender. A alquimia é o processo de transformar e aperfeiçoar os corpos com a ajuda da natureza. “É uma prática que observa além do ser humano, mas os processos naturais da vida”, explica o médico psiquiatra, psicoterapeuta e alquimista Rodrigo Riefel. “O sistema solar e os aspectos astrológicos são influência para estudar o macro e o microcosmos. Considerando o ser humano como um microcosmo, compostos de átomos e células, que são minisistemas solares, vivemos às mesmas leis e lógicas de um sistema solar. ‘Tudo que está em cima é igual ao que está embaixo. Tudo que está dentro é igual ao que está fora’, citando Hermes Trimegisto”, completa o profissional, formado na Escola de Alquimia Joel Aleixo.

Os compostos florais são extraídos da natureza por meio de diferentes processos artesanais, começando pelo plantio, respeitando a colheita e chegando na elaboração dos remédios. “O plantio é feito de forma circular, principalmente em mandalas, para preservar o equilíbrio na vitalidade da planta. Assim, todas elas vão ter a força que precisam, formando uma egrégora equilibrada”, esclarece o alquimista. “Os extratos são combinados ou únicos e passam pelo álcool de cereal, principal conservante e veículo do remédio”, exemplifica. Todo o processo é realizado observando as características naturais da planta e do ambiente como o todo, inclusive a ação do sol e da lua.

 

Tratar pessoas, não doenças

O psicoterapeuta Rodrigo explica que a Alquimia não foca na doença, mas na pessoa que sofre de algum distúrbio vivido internamente, buscando as causas profundas de seus sintomas. “A Alquimia considera que temos um pré-destino, um caminho a ser percorrido. Nesse caminho, temos talentos e desafios evolutivos, quando não conseguimos superá-los, podemos ficar presos em um emaranhado e sofrer com isto. Em quadros de depressão, por exemplo, consigo trabalhar a causa do sofrimento daquela pessoa, para que o sintoma e a doença desapareçam naturalmente. Isso também é comum em outros problemas que têm relação com a mente, o emocional, o corpo e o espírito, como ansiedade, transtorno de pânico, problemas psicossomáticos, doenças autoimunes, mulheres com dificuldade de engravidar”, enumera.

 

Como agem os florais

A Alquimia trabalha no processo de desintoxicação e purificação do corpo, das emoções e da mente. Atua na eliminação de toxinas e no maior funcionamento dos sistemas de eliminação; “Também trabalha com memórias traumáticas, experiências de vida repetitivas, com pai e mãe, por exemplo, questões femininas como fertilidade, maternidade e o equilíbrio nos órgãos. E com os desafios das fases evolutivas do indivíduo; Atua no corpo áurico, nas memórias distorcidas distantes da essência da pessoa, ressignificando-as. Alquimia é limpar e expandir o sentido interior do ser”, finaliza Rodrigo.

 

Disponível no SUS

Desde 2018, o Sistema Único de Saúde (SUS) inclui a terapia de florais entre as 29 práticas de medicina integrativa e complementar baseadas em conhecimentos tradicionais, ao lado de ayurveda, dança circular, meditação, musicoterapia, quiropraxia, aromaterapia e yoga, entre outras.

Para saber mais: alquimiafloraljoelaleixo.com

Fonte: Agência Brasil EBC

 

Entrevista publicada no Jornal Praia do Rosa, página 3.
Versão online: https://bit.ly/2MejcrF

One Response to “Entrevista: Desvendando os mistérios da Alquimia”

  1. Rodrigo Guimarães Responder

    Me chamo Rodrigo tenho 40 anos , usei osflorais João Aleixo para tratamento de limpeza da alma e traumas de infância. Mudei a minha vida para melhor obviamente. Recomendo .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *